Caldesul

Tijolos refratários devem ser usados em fornos e churrasqueiras

Os tijolos refratários têm como principal característica a resistência a temperaturas elevadas e devem ser usados na construção de estruturas constantemente expostas ao calor, como fornos.

Para o material ser caracterizado como refratário não é necessário somente que resista ao calor. A ABNT NBR 8826 define esses produtos como naturais ou artificiais capazes de suportar temperaturas elevadas sem se deformarem acentuadamente e em condições específicas de utilização. O ensaio de cone pirométrico para o material ser considerado refratário deve atingir temperatura de, no mínimo, 1430 ºC.

A fabricação dos tijolos refratários pode ocorrer de diferentes maneiras e, normalmente, envolve exposição da matéria-prima a temperaturas que podem chegar a até 2 mil ºC. Há centenas de materiais envolvidos na produção destes tijolos. São usados elementos naturais, como argilas especiais, bauxita, magnesita e cromita, ou sintéticos. 

Os refratários são divididos em categorias, dependendo da matéria-prima ou componente químico principal empregado em sua fabricação.

Para usos domésticos, como fornos, churrasqueiras e lareiras, habitualmente os tijolos refratários utilizados são compostos por argila contendo principalmente alumina e sílica, elementos capazes de suportar altas temperaturas. Enquanto a alumina tem qualidades reflexivas, a sílica é um excelente isolante. 

Quanto mais alumina presente na mistura, maior a temperatura que o tijolo irá suportar (o que será imprescindível para usos industriais) e mais cara será a peça. A sílica apresenta uma tonalidade mais acinzentada, enquanto a alumina um aspecto mais amarelado.

Os materiais de construção tradicionais não são capazes de absorver as grandes dilatações provocadas pelas altas temperaturas. Além disso, quando se apaga o fogo, acontece a contração dos materiais, que pode ser violenta se o resfriamento for acelerado. As juntas entre as peças sofrem essas interferências diretamente, o que afeta a estabilidade de toda a estrutura. 

Nesses casos, o uso de tijolos refratários evita problemas de deslocamentos e fissuras e, para assentá-los, é necessário utilizar argamassas que também apresentem a capacidade de resistir ao calor elevado. Cada tipo de produto tem sua utilização indicada dependendo da temperatura à qual será exposto.

É sempre importante reforçar que, ao projetar ou construir estruturas que ficarão em contato com o fogo, é imprescindível atentar para os materiais utilizados e as normativas locais. Todo o cuidado com o fogo é pouco para evitar perdas materiais ou acidentes mais sérios. Buscar assessoria com especialistas e fabricantes é sempre imprescindível.

Procurando soluções em Materiais Refratários? Confira a loja virtual da Caldesul ou fale com um dos nossos atendentes: https://caldesul.com.br/